sábado, 25 de maio de 2019

Aracy

De teu encantador homônimo do povo Roma,
Nada sobra além da liberdade revolucionada
Em uma gaiola de silício
Por todos os lados,
Todos os lugares,
Do início do dia até o cansaço colapsando a ilusão

Para voltar à solidão.

Narraste tais muros
De dupla barreira,
Quase Constantinopla sendo o que és
Contra o mundo Otomano
E a ganância de Mehmed, o conquistador,
Entretanto estás nua,
Nem argumento suporta
Tais colunas que parecem devaneio.