quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Sim

Sim, eu reconheço
Cada contratempo,
Sensação e atitude.

Sim, eu reconheço
Os gemidos de prazer e dor,
Os pedidos envolvidos em torpor.

Sim, eu reconheço
Os ares onde brinca em lúdicas piruetas,
Os ramos orvalhados onde pousa quieta.

Sim, eu reconheço
Esta claridade que irrita a escuridão,
Esta vontade que nutre o meu instinto ciumento.

Quando poderemos juntos se em tempos distintos?
Quando nos daremos um ao outro se eu morto?

Sim, eu reconheço
E, incompleto por medo e expectativa,
Aguardo outra vida para saber a sua resposta.