terça-feira, 25 de novembro de 2008

Estrelinha

Vem, estrelinha,
Suga o meu grelo na ânsia de ser homem para todos os outros homens
- Eu me faço feliz assim -,
Cospe na minha boca a fim de sarar esta tua carência vulgar
- Eu me engano na solidão.

Vem, estrelinha,
Roça os teus dentes imperfeitos nos meus mamilos
- Eu finjo que são perfeitos -,
Me mela de porra,
Me bate na cara,
Me chama de puta,
Finge que é luxúria.