domingo, 5 de outubro de 2008

Alarido dos Mudos


É preciso muito sumo para não se tornar bagaço,
Muita alma para não ser devorada antes que a fome acabe.
É preciso gana,
É preciso medo.
É preciso.