domingo, 14 de setembro de 2008

Pobreza Transgredida

Eu te amo de mentira,
Uma falácia descarada;
Eu te amo quase toda,
Pois toda és quase nada.
Eu te quero distraída,
Lambendo o mel da tua ferida;
Eu te quero repetida
Na pobreza transgredida.