terça-feira, 2 de setembro de 2008

A Fumaça

Pés sujos de vida,
De caminhos pelas salas da minha imaginação,
De brincadeiras e danças lisonjeiras se estás sozinha;
Sim, sozinha.

Chão farto de um isolamento
Que não lhe dá razão,
Que espera,
Que chora;
Sim, sozinho.