quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Retalhos de Ti




























Adeus ao velho ciclo,
À volta elipsóide
Que continha os teus sentimentos.
Quem vê até se assusta,
Pois os lábios rachados, secos,
Ainda fazem juras de amor.
Não precisa ser Bourbon,
Contento-me com um nacional;
Mesmo que nacional de mentira.
Ah, a falta que fazes,
Tentando roubar as estrelas
E as dores que são da paixão!
Não te importes!
Isso mesmo,
Não te importes!
Arreganhei-te enfurecida,
Soberba pelos teus feitos
E triste pelas tuas perdas.
Hoje?
Não, hoje não;
Eu me importo com a carícia.
Quem sabe outro lado,
Outro mundo,
Outra fé.
Há pontos em branco
Sobre o tecido da tela,
Mas é proposital.