sexta-feira, 18 de julho de 2008

Última Primavera

Eu,
O da pá virada,
Encadeando os teus lapsos de publicidade,
Capturo as adagas antes de serem arremessadas
Para que não te firas com a inveja.

Eu,
O da única fala do último ato,
Pintando fractais em paletas octais,
Finjo serem flores os complexos matemáticos
Para que esqueças o último pesadelo.