sábado, 5 de julho de 2008

Lábios Pintados de Solidão

Inconformei-me com o teu teclado sem acentos
Enquanto lutei contra uma nuvem fria por outro beijo...
Vesti-me de azul,
Imitei o imperador,
Tentei achar os teus soluços,
Arremessei as minhas naus no enxofre do inferno,
Enfrentei os meus demônios para morrer com um senso honrado de mim mesmo.

Onde estás,
Além das frases a partir de mãos que nunca mais vi?
O que compreendes agora,
Além das peças feitas de passado que não mais dizem quem somos?