segunda-feira, 16 de abril de 2018

Nablus Yarması

O amor é um peso tão indelicado que empreguiça os impacientes
Enquanto a leveza dos impulsos o embota sem pudor...
Eu quis amar o fim do homem,
Mas o lugar marcado para tal é uma ruína acerca de um kibbutz falido.

O amor é uma lista de dúvidas que não interessa aos degastados,
Não impressiona os despachados...
Eu quis amar o fim do homem,
Mas os portões estão fechados,
As ilusões estão contidas
E nunca mais verti lágrima por aquilo que importou.

sexta-feira, 6 de abril de 2018

Der Wolf und die Welle

Conter uivos lupinos nunca me agradou
Pois eu sou lobo
E te sinto distante;
Quero ouvir-te distante para,
Sorrateiro,
Aproximar-me.

Um lobo sem o seu uivo sequer é um cão,
Não reconhece a sua linhagem,
Não se excita ao ruído da presa,
Não se amedronta com os seus limites
Por não ousar.

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Nervos de Aço

Quando as minhas mechas iorubás
Se encontraram com a Itália ao leste do Paraná
Lembrei que a Holanda no Recife
Tinha ponte com a França ocupando o Maranhão

Assim feito o Rio de Janeiro português,
Tupiniquim, tamoio e sudanês...
Então a Mooca parecia um recanto
Onde Parlemo se beijava com o Japão.

Porque eu sou um brasileiro
E o mundo inteiro eu tenho em mim.
Não esmoreço ante ao fracasso:
Nervos de aço até o fim.

domingo, 27 de agosto de 2017

Entalhe

O corpo degenerou a ponto de qualquer pensamento fabular nostalgia.