segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Populismo

Esse país se perdeu do conceito de República em 1932, de lá pra cá as pessoas aderiram a um desejo íntimo pelo populismo que não importa se é de direita ou de esquerda, mas ambos os "populismos" rezam pela regra de que precisamos de um "grande líder" que resolva todas as coisas, inclusive a moralidade do povo.

Hoje em dia, enquanto o populismo de esquerda cultua a figura do Lula, um homem que faz elogio à ignorância, a direita está tão perdida, sem líderes pra nutrir o seu populismo, que cultua nomes como Bolsonaro, um bobo da corte arrogante.

Estamos chafurdando na falácia de que o Estado tudo provê por quase um século (mais 18 anos e fecha a conta), mantendo um capitalismo de compadres que, em nome da direita ou da esquerda, nunca permitiu ao povo brasileiro a chance de ser apenas livre.