quarta-feira, 15 de maio de 2013

Da Liberdade

Vou por mim
Quase me dedicando a não ver em mim
Um fim para este mundo de beleza e amor
Pois é cinza a cor de nascer pobre e cru
Num mundo nu de sonhos e fim infeliz
Calhado de virtudes para parecer
A felicidade por um triz.