quarta-feira, 6 de março de 2013

O Apolo Dourado

Se o ideal é máquina para a covardia dos pensadores,
Monstro inalcançável para o além-vida,
O além-mar,
O espaço sideral,
Onde estará a minha fragilidade urgente de homem neste progresso eterno,
Neste estupro justificado sem o corpo?

Nenhuma ideia me suplanta,
Mas uma me prende à coleira e às cóleras,
Eu sei,
Deste grupo de iguais animais
Perseguindo cousa que jamais serão.