sábado, 1 de dezembro de 2012

Fantôme

Se um dia cedi a espectadores vendendo-me o tempo,
Esta experiência de quem - da constituição obumbrada - afoga-se,
Foi de medo das vozes que chamei de vozes por não ter ideia se isto era mesmo sentido
Mesmo pronto a convergir-se amoral e sem falha
Num destino proposto tortuoso a enganar-me estreito em sua descrição,
Pois sequer aproveitei o próprio tempo,
Calha-me vago em sua emulação.