quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Se Existe, É Matemático

Ancorado à falácia quasiforme de efeito,
Ululando bêbado a qualquer que seja a curiosidade,
Não sou eu
- Não sou alma -
Neste fragmento que me compreende,
Nesta probabilidade filtrada para o próprio delírio de grandeza.

Enjaulado à urgência de sentidos ruins,
Corrompendo a essência para a própria permanência,
Não sou eu
- Não sou vida -
Nesta minoridade dos meus,
Nesta condição de estreante sem tempo que caiba.