sábado, 1 de setembro de 2012

A Hipótese de Medeia

Não te quero quase toda nua,
Pois estou tua enquanto me despes
Sem que te arranque o teu vestido de fogo e lágrimas
A permitir que eu durma enganada
Pela mentira que criei para conservar o teu segundo meu.