quinta-feira, 15 de março de 2012

Flèche du Temps

Se vi anacrônica a tua lágrima por esta existência de nossos pares,
Nada corroído ou dissolvido,
Tudo repetente antes que possamos definir mudança,
Foi por mero acidente diante de meu egoísmo que,
Envolto na rotina da própria manutenção,
Assustou-se e desistiu de manter-se.