segunda-feira, 26 de março de 2012

I Put a Spell on You

I put a spell on you
'Cause you're mine
You better stop the things you do
I ain't lyin'
No I ain't lyin'...
Screamin' Jay Hawkins

domingo, 25 de março de 2012

Amor, Fadas e Papai Noel

Tão pesado quanto o instinto derretendo normas pela suposta paz ou pastoreio
É a medida de postura numa alcunha para que não se demonize
Como se o mal se defendesse absoluto.

Não há o mal,
Há o caminho ruim
Que não levou ao gozo
Ou o atingiu seguido duma sequela insuportável.

sexta-feira, 16 de março de 2012

O Tempo Para

Criada a relação entre os fenômenos elementais do próprio corpo,
Não mais puderam ceder ao colapso eminente da própria confusão
E respeitaram a coerência do eterno retorno à fluidez das bolinhas de sabão
A se resfriarem e se induzirem à procriação das ululantes filhas
Desconexas de si mesma e aprisionadas ao todo como é.

Criado o curso de jazer em vida,
Vazia era a vida
Limitada aos seus fragmentos mais pesados diante de toda a sua leveza.

quinta-feira, 15 de março de 2012

Flèche du Temps

Se vi anacrônica a tua lágrima por esta existência de nossos pares,
Nada corroído ou dissolvido,
Tudo repetente antes que possamos definir mudança,
Foi por mero acidente diante de meu egoísmo que,
Envolto na rotina da própria manutenção,
Assustou-se e desistiu de manter-se.

segunda-feira, 12 de março de 2012

Temperança

Suando um ranço podre e incompreensível,
Fingia correr contra a morte e seu bruxismo
A interromper o sono dos órfãos ao seu redor.

sábado, 10 de março de 2012

Perfect Crime

Que a sua ignorância seja perdoada
Pelos que ficam a chorar nesses cortejos,
Rios a esmo sem janeiro
Enquanto auscutamos o frio trincar a pele ressequida pela morte.

terça-feira, 6 de março de 2012

Leões Arrebanhados

A propaganda pacifista dos especulantes pastores exige o rebanho distante da barbárie de ser livre, de exigir a natureza de sua sobrevivência à truculência sórdida da terra ao invés da tênue sublimidade do vigoroso engodo de telenovelas que chamamos amor sem crer plenamente no mesmo.

- Às armas! - imbecis seríamos, açoitados à tinta na celulose cotidiana de quem só tem a perder.

sábado, 3 de março de 2012

...

Cosa posso fare per cambiare?
Niente, non vuole essere cambiati,
Non può essere altrimenti,
È stesso di piu.

u.u