domingo, 8 de janeiro de 2012

A quentura da calçada

Estou além da voz que despenca deste infarto a chamar a multidão
Pela morbidez da cena a impulsionar o riso na fragilidade transparente
De todos nós,
Estou feliz por ser plateia e não algoz do reconhecimento da pobreza
Que se estica ali na quentura da calçada.

- Is anybody hearing? - pergunto-me
Descalço a queimar as solas dos pés sem qualquer dor,
Mas não,
Matei todos sem querer.