quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Ousa

O meu abismo é flor nesta surdez,
Um descaminho só na insensatez
De ter-te espelho do que jamais fui
Acalentando o amor que te propus.

Ousa,
Contorna a forca legítima e vem
Mudar tudo.