quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

matrix([x²+x,y²+y,z²+z] , [x²,y²,z²] , [x²+y,y²+z,z²+x]);

Entrego a minha vontade e espero,
Contanto que não me desperte
Da sina de ser desespero por essa virtude que nunca me segue.

Arrisco-te por minha fome,
Ferido em vias de morte,
Até o infinito roto da suposta maldade que nós inventamos
Numa estação bravia
Em que não nos entendemos
Supondo estarmos certos do lado correto em que só um estava.