sexta-feira, 18 de novembro de 2011

A Laje Morna

Tenho toda espécie de ódio
Por qualquer amor que eu sinta,
Qualquer impulso ímpio de divindade.
Tenho toda falta de sonhos
Ao sono recente ou findante para que me lembre:
Misturam-se ao dia a desvanecer-me.