sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Human Shell


Deita e dorme, meu bem,
Sente os anjos
Cumprindo o teu espírito para a luta
De não haver luta,
Entregar-se quase morto para a vida.

Sonha a fúria, meu bem,
De estar livre
Confiando em tua concha de certezas
Dependentes da calmaria de um universo assassino,
Pois cuidarei do resto;
Permitirei o teu suspiro na prisão de viver.