sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Acidente

Não perco qualquer passo teu
À reversão de onda da corda de violino vibrando em Si,
À suposição do ato macabro de uma criança.

Aceito qualquer desvio,
Entendo qualquer final.

Não sofro assim que tropeças
E arrebentas dedão e calcanhar
A cambiar teu rumo para o limite inesperado.

Aceito qualquer desvio,
Entendo qualquer final.