sábado, 8 de outubro de 2011

A Professorinha de Matemática

Ela parecia genial, contorcia a nossa criatividade infantil com a sua maquiagem monocromática a pulsar binária sobre a volúpia pronunciada com discrição. Ao fim de sua primeira prova, como toda pergunta mais difícil de suas provas, o explanar à questão:

- Não sei em que ano estamos e por isso não sei quantos anos tenho, parei de contar em 1866, 37 anos após a minha morte aos 35 anos. Qual é a minha idade?