quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Galiza

A alegoria de Graciliano Ramos acerca da palavra, sacramentada sem anestesia carne adentro por Nelson Rodrigues, rejeita a arquitetura rígida por proteção de pontos que não se comunicam, num tempo em que nos libertávamos gradualmente do isolamento físico, mas ainda assim um tanto isolados.

Estou isolado da minha mãe ou é outra mãe, fornicando com os seus filhos ligados à velocidade da luz?

Não, a minha mãe tornou-se mãe da minha avó.