terça-feira, 4 de outubro de 2011

Amo a Vaia

Amo a vaia sem derramamento de sangue,
A irritação dos imbecis após a própria tosa.
Amo a vaia em uníssono rumo ao discordante,
Ao estúpido execrador da alegria latente.
Amo a vaia desesperada pelo mantenimento
Da divina suposição intuída por medo.