sábado, 17 de setembro de 2011

Surface


Vou por onde posso crer na tua confidência
Pois eu nunca soube lidar com o que sei de ti.
Entendo quase tudo até que venha a acontecer
E fraco aos teus olhos ser o que nunca previ.