domingo, 11 de setembro de 2011

Selbstverwirklichung

Quem me nutriu nada é;
Nada sou
E chamo de amor a minha gana,
Descrevo a quentura da necessidade
Com frieza e a quero,
Quero ser.