quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Grosso

A estrela é uma donzela faminta a consumir-se na batalha entre a sua gravidade e pressão, fundindo estruturas simples em maiores, maiores em enormes e, por fim, condensando o resultado morto de sua vida em atração inexplorável. Algumas estrelas são tão insaciáveis que se tornam ladras, capturam parte da massa de uma companheira de sistema binário a transformar-se em ditadora da irmã reduzida a planeta denso.