terça-feira, 6 de setembro de 2011

Corrente e Mutante

Se fosse para curar a perversão das formas,
Sobre que fato distorcido afirmaríamos se a normalidade não é viável?