terça-feira, 6 de setembro de 2011

Consenso

Daquele corpo delgado de seios pequenos
Pungi a verdade dum destino perfeito,
Quase adormecido em sua fúria letárgica
Que só eu podia ver por ebriedade de paixão.

Aquele traço sublime em pele salgada
Jamais ousou além do meu pedido
A retorcer o meu silencioso desejo,
Portanto,
Preso à mácula de ser o autor,
Abandonei-o envelhecendo em seu lugar.