segunda-feira, 22 de agosto de 2011

La fille du fossoyeur

O homem que acalma as almas criou uma semideusa
Ao som das doutrinas repressivas de canções de ninar
E mal sabe o homem que o monstro divino aguarda
Sedento ao toque dos lábios de quem deseja extinguir.

O homem que viu todo o reino cair diante do tempo
Criou um impulso de vida ao azedume de fim,
Porém não suspeita do tempo revolucionado
À angústia, orgulho e ambição de uma mulher.