domingo, 7 de agosto de 2011

Até o Dia Acabar

Não acredite em mim,
Eu sou a voz fingindo a sua importância
À luz de sua arrogância
Em um pedido pueril de vingança.

Não se prepare assim
Tão veloz por algo que não entendo;
Ainda nem é setembro
E sempre me surpreendo com esse olhar sutil.