segunda-feira, 18 de julho de 2011

Evidência

Como quem busca o suposto natural,
Tentando aninhar-se na construção das épocas,
Rasgou o discurso a fim de destruir o frio e a solidão
De não ter com quem dividir a própria culpa.

Deitou-se receptiva e sorriu
Quando tocada e os hormônios despertados,
Ludibriada pela droga em si para quem a desembrulhou,
Manteve o pacto à crença do desatino.

Enfim,
Nos trilhos.