quarta-feira, 18 de maio de 2011

Passageiro

Enraizou a coragem enquanto voava,
Fissurou o asfalto pela aridez envenenada
E distante de gente,
Mas repleta do que a gente esconde.

Condenou as cicatrizes com tatuagens,
As pretensões com desvarios
E culpou o vazio cheio das coisas
Como se esperasse recompensa.