terça-feira, 3 de maio de 2011

Massive Bot Attack

Preciso dizer que te amo e a verdade que sinto não me deixará,
Que o medo de ter-te em parte desenha o mistério a me encobrir
Ciente das tantas perguntas feitas pelo abismo a revelar-me
Covarde diante do beijo sincero da força a inibir-me.

Então sou canção presa em chaves de cores discretas à sua luz,
Penumbra saltando à treva,
Rubor à própria impotência.