terça-feira, 24 de maio de 2011

Érotique I

Transpirando,
O cheiro salgado de fêmea cortava o corpo
Paralisado por ela
Em sua ordem ou brincadeira
A deslizar dedos por minhas pernas e barriga
Para assistir-me latejante e tentado ao próprio toque.

Suspirando,
Intercalava sussurros ofensivos a carícias ininterrompíveis a mim
E cessadas pelo seu castigo ou diversão;
Prazer pontuado entre dor inexistente.