segunda-feira, 21 de março de 2011

1976

Por ser parte tua,
A cura e a coragem,
Faz-me a fé em tua vontade
De enganar o tempo,
Calar o contimento,
Criar a impossível saudade
A instigar-me o corpo,
Furtar-me Sol da alma,
Falhar todo o breve imposto
Que julga por supor
O que não deve ser
Calhado na paz dum corpo morto.