quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Dementia

Ela é um exemplo clássico de estupidez.

Quando um indivíduo decide criar uma identidade num ciberuniverso qualquer, a proposta da coisa em si é que este contribua na simbiose entre os universos, mantendo as características particulares de cada um mesmo que - conceitualmente - sejam um só; isto que fica embutido no trabalho do mestre do pseudo-universo hospedeiro para manter a aparência de distinção com o universo de origem do indivíduo pode atiçar a egolatria de qualquer membro com identidade deficitária no universo de origem, fazendo-o investir na cura de suas necessidades de auto-afirmação através do personagem, da personificação de si mesmo em ambiente além de si. Um bom mestre simplesmente o abala, decepa as suas conexões na rede neural para que busque uma alternativa de alimentar o pseudo-universo a partir de seu universo de origem; exige que crie um personagem novo e repense suas atitudes ou simplesmente o põe para fora feito um cão sarnento, visando a saúde de interação entre os universos.

Ela é um exemplo medíocre de estupidez.

Pensara que tudo fora criado para a sua diversão, mas ela mesma e o grupo de usuários a qual pertencia não deu ao pseudo-universo a interação que o mesmo necessitava, aquela que o mantém de pé: capital bruto ou intelectual.