domingo, 14 de novembro de 2010

Não Havia Ócio

Após desfeito o nó,
Clamava nostálgica pela solidão do cárcere de si
Por precisar lutar em meio ao furdunço da sobrevivência.

Não havia ócio
Nem havia embate,
Não era vilã
Nem caçava o bandido armado contra os seus sonhos.