sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Missa defunctorum

Quase acreditando no que o mundo iria provar,
Seguiu tentando a forma que o impossível pôs-se a crer
Em cortes cruzados de um campo sem riqueza
Aparente aos desejos dos mortais a combater.

Hoje ninguém está triste pois a vida foi vencida,
Hoje ninguém ousa corromper o nosso caos.