quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Como?

Como apaixonar-se por um impulso imprevisível,
Sem face e timbre,
Cheiro e sabor?
Como carregá-lo às últimas consequências,
Ferir-se só
A compô-lo de perfeição no que dele me falta?
Como ajoelhar-me desarmado,
Cabeça abaixada
E cabelo enrolado para que surja a nuca?

Como?