segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Ao Que Der

Com o corpo sob a pressão do calor ao chuveiro quente, suspendia o vazio das pernas quase mortas, o embaçado na visão ensanguentada, o ludibrio dos seus ecos a comportá-la fria diante do mundo. Com o corpo cercando as queimaduras na pele, chorava sem lágrimas enquanto vomitava o café da manhã.