terça-feira, 16 de novembro de 2010

Ah, certos poetas e as suas carências afetivas!...
Afetivas para não dizer sexuais:
Pele e osso em seu isolamento traumatizado;
Roendo correntes pelos instintos não correspondidos,
Naufragando-se antes ou depois do toque solitário,
Calhando flores sobre o piso frio de um lar abandonado.