quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Nosso Fim

Assim que atribuímos àqueles que amamos sem poder a profundidade de nosso desejo,
Aniquilamo-nos à letargia do ser social falido pela astúcia da covardia
Serpenteando fugitiva ao que num íntimo desejoso somos...

Eis o capítulo primeiro de nosso fim.