sexta-feira, 8 de outubro de 2010

La Vie est Belle

A armadura desintegra aos olhares
E a habilidade fútil,
Inútil ao que incita em seus botões coordenadamente pressionados,
É esquecida ao primeiro gaguejar no outro lado de seu abismo.