segunda-feira, 25 de outubro de 2010

A Fêmea dos Espelhos Emoldurados a Bronze

Ela é muita mulher pra pouca imaginação,
É rabo de foguete,
Chave de cadeia.
Não adianta teia,
Ela é avião,
Pássaro rebelde,
Eterna fugitiva
Do nada em vida,
Lótus despetalada
Por outras fecundações,
Viril com dois X,
Mortal assumida.