terça-feira, 5 de outubro de 2010

Desunião

Presa ao meu braço,
Ao meu gesto,
À minha doçura,
A minha fúria geme de dor
Por horizontes pretos,
Passado cocho,
Espaços decaídos a qualquer lugar.

Longe da penúria,
Do óbvio do ser,
Cumpre-se o que é e a permito
Maquiada de mim.