sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Eu Só Minto

Esperam de mim o desespero,
A lágrima
E até a reação dum herói,
Contudo sou maldito
Vagabundo,
Não sei o que quero;
Desejo e só espero a resolução do sonho,
Invoco às preces a deificação do homem,
Mas feito humano apenas me cabe a fábula.

Ator do meu ego inflado,
Minto:
Está tudo bem,
Passará.